quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Advogada é condenada em Brazlândia por induzir testemunhas a mentirem em processo

O Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) obteve a condenação da advogada Rita de Cássia da Costa Kaneco por participação em crime de falso testemunho

Resultado de imagem para brazlandia
A advogada instruiu testemunhas a mentirem para favorecer réu que era seu cliente. A pena foi fixada em multa e dois anos e quatro meses de reclusão em regime inicial aberto, que foi convertida em duas penas restritivas de direito, a serem definidas. A sentença, da Vara Criminal e Tribunal do Júri de Brazlândia, é de 3 de agosto.

Segundo a denúncia da Promotoria de Justiça Criminal de Brazlândia, a advogada teria criado, orientado e definido a versão falsa que as testemunhas deveriam apresentar em juízo. Em audiência do processo, os dois homens convocados para testemunhar declararam falsamente não ter visto o réu disparando arma de fogo, mas sim acendendo fogos de artifício para separar uma briga de cães.

Constatada a falsidade das versões, os homens também já foram processados e condenados por falso testemunho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta