Coronavírus: o que meu condomínio pode fazer para impedir a disseminação da doença?

Saiba quais cuidados síndicos e moradores devem adotar com elevadores, corrimãos, interfones e piscinas

Resultado de imagem para aguas claras df
Moradores
Em caso de encomendas e entregas de delivery a recomendação do Sindcondomínio é de que entregadores não entrem no prédio e que os condôminos devem receber as entregas na portaria.

A necessidade da permanência de funcionários trabalhando nos apartamentos deve ser avaliada e empregados acima de 60 anos devem ser liberados do trabalho. Essa orientação também é válida para trabalhadores terceirizados que trabalham para o condomínio.

Evite obras e só mantenha o trabalho em caso de extrema urgência para evitar circulação de outras pessoas no prédio. 

Qualquer estado gripal, mesmo que inicial, deve ser comunicado ao síndico, com confidencialidade. A gripe comum e a imunidade baixa predispõem à infecção por Covid-19. A transparência é aliada do combate à disseminação da doença.

Resultados positivos para Covid-19 devem ser obrigatoriamente informados ao síndico e demais moradores. A sugestão é que qualquer pessoa com sinais de estado gripal deve ficar o máximo possível em seu apartamento, em distanciamento social de ao menos dois metros de distância das pessoas. 

Como o Covid-19 é comprovadamente transmitido pelas mãos, deve-se evitar cumprimentos, abraços ou beijos. 

Evite fazer ou receber visitas. 

Quando possível utilize as escadas e de preferência sem encostar em corrimãos. 

Síndicos
Gestores de edifícios devem garantir que equipes de limpeza de cada edifício se esforcem com as práticas diárias de higienização nesse momento em que essas medidas podem frear o avanço da doença e proteger os mais vulneráveis.

Fechar temporariamente o salão de festas e limitar atividades sociais com grupos de pessoas externas ao seu apartamento em quaisquer áreas de convivência como academias, piscinas e espaços gourmet.

Considere ter desinfetante para as mãos à base de álcool em áreas comuns, incluindo, entre outros, a entrada dos elevadores e banheiros. 

Prestar atenção especial à limpeza de superfícies frequentemente tocadas em áreas comuns: higienizar frequentemente itens como bebedouros, torneiras, maçanetas, interruptores de luz e botões do elevador, entre outros, com produtos de limpeza à base de álcool e água sanitária. 

Os síndicos também devem evitar assembleias de condomínio. Informações podem ser passadas através de cartazes afixados em áreas de circulação de moradores ou enviadas por aplicativo de mensagem.

Funcionários 
O funcionário gripado deve ser licenciado temporariamente, com direitos assegurados pelo condomínio.

Nos casos de reforma e de circulação de trabalhadores externos, inclusive os de cada residência e trabalhadores de reformas, devem receber equipamento de proteção pessoal adequado, como luvas limpas trocadas constantemente. 

A equipe que manipula o lixo deve lavar as mãos frequentemente, utilizar luvas e desinfetante para as mãos à base de álcool. Nenhuma evidência sugere que o lixo do edifício necessite de desinfecção adicional.

O síndico ou administradora deve providenciar o Equipamento de Proteção Individual (EPI) completo para os trabalhadores, incluindo luvas, botas e máscaras, de acordo com recomendação dos órgãos oficiais.

O síndico ou administradora devem disponibilizar toalhas de papel e sabão nos banheiros para os funcionários, disponíveis o tempo todo. 

Todos
Higienizar as mãos, frequentemente, com água e sabão, durante pelo menos 40 segundos; em caso de não poder, com álcool-gel.

Evitar aglomerações, inclusive no elevador. Reduzir a utilização para, no máximo, três pessoas por vez. 

O banheiro de uso comum deve ser higienizado após cada uso. 

A distância mínima de visitantes e moradores do porteiro deve ser de dois metros. 

O ideal é a comunicação pelo interfone.
Compartilhar

Por: Colibri Comunicação

0 comentários:

Postar um comentário

CLUBE DO VINIL

PRODUTORA MAGUCHI

PARCEIRO