BRASIL | SAÚDE - Saúde da mulher vai além dos cuidados ginecológicos

Saúde da mulher vai além dos cuidados ginecológicos 

 

O mês de março é dedicado às mulheres. Não bastassem todos os desafios enfrentados diariamente, no ano passado, o mundo precisou encarar a pandemia de covid-19. Muitas mulheres precisaram adaptar suas rotinas em casa à realidade do home office; além de equilibrar os cuidados com a família e a carreira. Muito mais que uma comemoração, é um momento de falar do poder feminino, de valorização da mulher, e porque não de lembrar que todas devem se cuidar e serem cuidadas?

 

"Independentemente da idade, a mulher precisa de cuidados essenciais com a saúde. E, desta forma, garantir também a qualidade de vida", pontua a ginecologista e consultora médica do Grupo Sabin, Mirna Mourão. 

 

 

Cada mulher tem necessidades específicas quanto à atenção com a saúde e o bem-estar. No entanto, algumas recomendações gerais são importantes para uma vida mais longeva e saudável. 

 

"A rotina de consultas das mulheres é muito marcada pela prevenção dos cânceres de mama e do colo do útero ou quando estão gestantes. Mas, é necessário lembrar de cuidados básicos que devem estar atrelados a esses exames de rastreamento e periódicos, como: manter alimentação saudável, cuidar da saúde mental e praticar atividades físicas", explica a especialista.   

 

 

Exames preventivos 

 

Um levantamento feito pela Federação Brasileira da Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) em 2019, chamado "Expectativa da mulher brasileira sobre sua vida sexual e reprodutiva: as relações dos ginecologistas e obstetras com suas pacientes", aponta que pelo menos 5,6 milhões de mulheres brasileiras não costumam consultar um ginecologista-obstetra. Os dados alarmantes ainda mostram que 16,2 milhões não consultam um médico há mais de um ano e que 4 milhões nunca procuraram um profissional da área.

 

"Os exames periódicos ou check-ups  têm a finalidade de diagnosticar alterações da saúde da mulher mesmo antes da paciente apresentar sinais e sintomas de doenças, melhorando as chances de tratamento e cura", explica a ginecologista. 

 

Entre os exames de rotina mais comuns estão o papanicolau (indicado para detectar precocemente câncer de colo de útero e infecções), ultrassom das mamas, tireóide e transvaginal e a mamografia.  De acordo com o histórico clínico de cada paciente, os médicos podem solicitar também exames laboratoriais.

 

Mamografia

 

A mamografia  é conhecida como o raio-X das mamas. Com ela, é possível detectar possíveis sinais de câncer de mama antes mesmo do nódulo ser formado, possibilitando maior chance de cura.  A mamografia deve ser feita a cada 2 anos, entre 50 e 69, ou antes, com recomendação médica.

 

FONTE: PROFISSIONAIS DO TEXTO

EDIÇÃO:

REDAÇÃO DO GRUPO

 

 

Compartilhar

Por: CEO Grupo M4

0 comentários:

Postar um comentário

CLUBE DO VINIL

PRODUTORA MAGUCHI

PARCEIRO